Reestruturação Organizacional

Para atender as novas demandas internas e externas do ensino musical, o Conservatório entrou em nova fase de reestruturação organizacional, em agosto de 1989, buscando adequar-se à nova realidade e aos desafios que, no final de século por certo, haveriam de surgir, passando por uma ampla reforma administrativa e pedagógica concluída em 1990, cujo envolvimento dos professores e dos profissionais de música na condução dos trabalhos constituiu o elemento de maior força criativa na concepção de novo modelo organizacional. Os produtos normativos obtidos desta reforma administrativa foram:

I - O ESTATUTO que abordava as finalidades da instituição; a questão democrática viabilizada pelo Conselho Deliberativo com representantes de todos os segmentos da comunidade conservatoriana; os princípios organizacionais; as diretrizes pedagógicas dos cursos regulares, de extensão, de aperfeiçoamento e livres; e o regime financeiro.

II - O REGIMENTO GERAL - que tratava da estrutura organizacional do Conservatório; da organização e funcionamento dos cursos; dos direitos e deveres dos corpos discente, docente, técnico, administrativo e dos profissionais de música; e do regime disciplinar;

III - O MANUAL DE ORGANIZAÇÃO com as atribuições de todas as unidades da estrutura do Conservatório; Foi proposta a inclusão dos cursos regulares de música para formação do profissional-artista do nível médio do CPM, na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, apresentada ao Deputado Federal Carlos Vasconcellos para defende-la na Câmara Federal. Em 1997, na gestão da pianista Elyanna Caldas, empreendeu-se uma reforma pedagógica nos cursos do Conservatório, coordenada pela Professora e Pianista Jussiara Albuquerque Corrêa de Oliveira, então Diretora do Departamento de Teoria Musical, para ajustar o ensino profissionalizante de música promovido pelo CPM, à Lei 9.394/96 - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

Nos anos 1980, 1990 e 2000 foram criados diversos grupos no Conservatório que se tornaram referência no Estado de Pernambuco. Conjuntos orquestrais como a Orquestra de Câmera de Pernambuco, a Orquestra Suzuki do Alto do Céu e a Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório Pernambucano de Música, grupos como o SaGrama, Allegretto, Trio Sonata, Coro Ernani Braga, além do Coro de Câmera do Conservatório Pernambucano de Música.

Histórico

1/3
Please reload