Anos de Mudança

O final dos anos 1960 traz grandes mudanças. O Conservatório deixa a Rua do Riachuelo para se estabelecer num casarão na Avenida João de Barros. A direção é confiada ao violinista Cussy de Almeida. Em 14 de fevereiro de 1968, pelo Decreto nº 1.490 o então Governador do Estado Dr. Nilo de Souza Coelho aprovava outro Regulamento que estabelecia como finalidade do Conservatório a incrementação do bom gosto musical e a difusão do ensino teórico e prático da música, nos níveis elementar e médio, para todas as classes sociais. O regulamento previa cursos de Iniciação Musical, Ginástica Rítmica, Teoria e Solfejo, Canto, Canto Coral, Harmonia e História da Música, Piano, Violino, Viola, Violoncelo, Contrabaixo, Flauta, Oboé, Clarinete, Fagote, Trompa, Trompete, Trombone e Percussão. Previa a organização de: um quarteto de cordas - para ampliar o gosto pelo estudo da música de Câmera; um coral estadual com repertório religioso, erudito, folclórico e popular; uma banda de música infanto-juvenil; festivais e concursos regionais e nacionais de música erudita e popular. Regulamentava sobre a inscrição e admissão aos cursos, a sistemática de ensino, o custeio, os exames e diplomas, o corpo discente, docente e a administração do Conservatório, que se desdobrava em Diretor Presidente e Diretor Superintendente. O Regulamento criava os seguintes órgãos: Secretaria, Assessoria Técnica e Assessoria Jurídica. Pelo Decreto nº 2.297, de 04 de fevereiro de 1971, do mesmo Governador Dr. Nilo Coelho, extinguiu-se o cargo de Diretor Presidente.

A virada dos anos 1960 para a década de 1970 traz a criação de um dos melhores grupos da história da Música Brasileira, a Orquestra Armorial de Câmera de Pernambuco, que renova a música erudita brasileira com composições originais baseadas em motivos e temas nordestinos. Os concertos da Armorial, bem como a criação das Quartas Musicais, na gestão do Maestro Henrique Gregori, supriram a ausência da Sociedade de Cultura Musical, que trouxe a boa música e bons intérpretes do mundo para o Recife entre os anos 1920 e 1970.

Nos anos 1980, o Conservatório teve na direção o Maestro Henrique Gregori, o Maestro Clóvis Pereira e a pianista Elyanna Caldas. Foram os anos de criação e projeção da Orquestra de Cordas Dedilhadas, de vários grupos instrumentais de alunos e das primeiras experiências para a implementação do Método Suzuki de ensino de cordas.

Histórico

1/3
Please reload